Google+ Followers

sábado, 7 de novembro de 2009

Ame com o compromisso de crescer








Poder aceitar-se é um pré-requisito básico para amar alguém. Ou seja, a relação amorosa começa inicialmente de forma individual e depois vai se completando a dois. É muito importante que a pessoa se valorize e goste de si mesma. De nada adiante sentir um grande amor por alguém, se nos acharmos não merecedores desse sentimento. Uma auto-estima forte, implica em mostrar ao outro que temos valores e desejos e que gostaríamos de sermos respeitados e valorizados por aquilo que sentimos, pensamos e, principalmente, por aquilo que somos. Isto serve para ambos.


Se não me valorizo abro portas para ser rejeitado, menosprezado. Pessoas que constantemente abrem mão de seus projetos em função de alguém, delegam todo seu brilho para o outro. Amores precisam de espaço para respirar. Se fornecemos espaço, damos a possibilidade de criação. Quanto mais eu restrinjo quem amo, mais escravo ele se torna, mais autoritário me transformo e mais inseguro fico.


Nas relações afetivas ambos precisam ter luz própria. Quanto mais brilhamos, mais podemos iluminar os que escolheram trilhar o caminho ao nosso lado. Ganhamos quando observamos que o nosso crescimento estimula o crescimento do outro. Isto provoca um sentimento interno de gratificação, de como é bom estimular quem amamos. Muitas vezes precisamos abrir mão do nosso individualismo e desejos para que a relação cresça.


É preciso que fique bem claro que para existir amor saudável é necessário que haja envolvimento. De nada adianta existir inteira liberdade se não houver o comprometimento necessário para crescer, como pessoa e no relacionamento. Amar é se relacionar profundamente com o companheiro, fazer trocas, estar inteiro na relação. É preciso cuidado para não cairmos no lado oposto, o lado do amor livre com trocas superficiais. Como diz o psiquiatra José Angelo Gaiarsa: “Quem não se envolve não se desenvolve”. Ele foi extremamente feliz com essa colocação, pois é preciso envolvimento sim, para crescer e amar. Adolescentes fazem isso, pois ainda não são maduros o suficiente para assumirem compromissos responsáveis. Pessoas maduras precisam se envolver e deixar envolver-se pelo outro. Muitas vezes relações ditas “livres”, são apenas fachada para que não haja um envolvimento maior.


Precisamos ser verdadeiros e autênticos com nós mesmos. De nada adianta levantarmos uma bandeira de liberdade se não nos comprometemos, ou se não permitirmos que nosso companheiro, também compartilhe desses mesmos valores. Coerência antes de tudo, o que desejamos para nós, também devemos desejar para pessoa que amamos. O relacionamento amoroso cresce com a troca e se fortalece quando permitimos que o outro seja ele mesmo. 


(Achei este texto tudo de bom - foi publicado por Maury Braga é Psicólogo Clínico Graduado pela PUCRS -  a foto é de www.carolinasalcides.com.br )