Google+ Followers

domingo, 20 de dezembro de 2009

A Luz do Natal





A natureza da luz tem sido objeto de atenção de filósofos e cientistas desde tempos remotos. Na Grécia Antiga se conheciam e se manifestavam fenômenos e características da luz tais como a reflexão, a refração e o caráter retilíneo de sua propagação. Não é de se estranhar, então, que se perguntaram – o que é a luz? E que a estabeleceram como exigência de conhecimento mais profundo. Os gregos primeiro e os árabes depois, sustentaram que a luz é uma emanação do olho que se projeta sobre o objeto, se reflete nele e produz a visão. O olho seria o emissor e, por sua vez, o receptor dos raios luminosos.

A partir dessa primeira explicação conhecida, o desenvolvimento das idéias sobre a natureza da luz, constitui um exemplo de como evoluem as teorias e os modelos científicos à medida que, por um lado, se consolida o conceito de ciência e, por outro, se obtêm novos dados experimentais que põem à prova as idéias disponíveis.

Isaac Newton (1642-1727) se interessou vivamente pelos fenômenos associados à luz e às cores. Em meados do século XVII, propôs uma teoria ou modelo acerca do que é a luz, cuja aceitação se estenderia durante um longo período de tempo.

A luz, em relação com o Natal, tem outras conotações muito distintas às anteriormente expostas, pois se diz que o 25 de dezembro é o primeiro dia em que o eixo da terra começa a caminhar para o ponto de maior iluminação no hemisfério norte. Entre os romanos havia um deus bifronte, ou de duas faces, Jano, que o catolicismo mudou para João, e como se dispõe de dois “Joãos”, o Batista e o Evangelista, um se colocou no princípio do verão e outro no princípio do inverno, isto é, no primeiro dia em que a terra foi para a obscuridade e no primeiro dia em que a terra foi para a luz. Desta forma, Jano segue olhando com uma face para a luz e com a outra para a obscuridade.

Muitos avatares nascem aos 25 de dezembro e ainda que sua data de nascimento não coincida com esta, de alguma forma, se a assume como símbolo da luz. Mas, além disso, a vibração mística do Cristo Cósmico, também pode se considerar como luz prístina que invade a mente e corações dos habitantes da terra, impregnando-os com uma alegria especial que se respira no ambiente.

Em alguns templos se realizam cerimônias que recordem que a união de corações e mentes irradia mais luz que a cada um de nós em forma independente possa projetar. Por isso, a frase “acrescentarei minha luz à sua” sempre estará vigente, pois a luz de várias velas juntas produz maior iluminação que a que poderia dar cada uma delas separadamente. Cada vela, em si mesma, não dá mais luz isolada ou junto à outra, entretanto, ao unir uma com a outra há uma maior radiação de energia por incrementar a refração.

Em outros templos se realiza a cerimônia de JEOSHVAH perto de 25 de dezembro, para invocar as vibrações do Cristo Cósmico, as quais renovarão o templo para outro exercício anual.

Este exercício se pode fazer tanto individual como em grupo. Pode-se acender uma vela e se for em grupo que ela seja o ponto central da reunião. A vela ou velas serão brancas. Cada assistente terá uma vela apagada. Ao final, um dos presentes acende sua vela na vela central e com ela dará a luz a vela do seu lado e, assim, sucessivamente, até que todos saiam em procissão do local, mas isto é só no final, quer dizer, só depois da meditação.

Meditação

Sentem-se relaxados e em posição confortável. A coluna e o pescoço retos, os pés bem assentados no chão, as pernas separadas, as mãos com as palmas para baixo sobre as coxas próximas das rótulas dos joelhos e os olhos fechados. Respirem três vezes lenta e profundamente pelo nariz, sem retenção do ar. Quando estiverem relaxados invoques o nome de Jesus em hebraico por oito vezes (a pronúncia é: YEJOSHUAHJ), recebam o fluxo de luz em silêncio. Visualizarão uma luz branca que como uma ducha descende sobre vocês e lhes preenchem de energia, depois de um minuto parem de visualizar e fiquem receptivos (as) por uns 3 minutos. Em seguida, respirem profundamente e voltem suavemente à consciência objetiva. Neste ponto é que acenderão suas velas na vela central e deixarão o ambiente onde estão.

Que la Luz del Cristo Cósmico brille en todos los corazones de la humanidad. ¡Que así sea!

(Adrián Pérez de Vera - dezembro/09)

sábado, 19 de dezembro de 2009

Qual é o segredo do amor???



Como fazer um relacionamento resistir ao tempo, resistir a rotina, ao ego de cada um? Se apaixonando não pela figura que se apresenta, não pelo sonho que você idealizou, mas pela pessoa que de alguma maneira te conquistou. Quem se apaixona pelo cheiro da pessoa amada, pelo riso solto ou pela franqueza, pelo jeito tímido ou debochado de ser, aprende a amar a essência e separa: o que é real do que é sonho... Só ama de verdade quem "admira" os detalhes da pessoa amada, e são os detalhes que fazem toda a diferença. Muita gente procura amores de cinema,onde tudo faça a diferença, a pele, o sorriso, a altura, os cabelos, a simpatia, a inteligência, o bolso, a profissão, são tantas exigências, tantas requisições, e o amor pede tão pouco: no início admiração, depois do conhecimento inicial: atenção, depois de algum tempo juntos: dedicação, e junto com o respeito, que deve existir sempre, o amor para resistir ao tempo precisa de detalhes, as vezes tão pequenos, que acabam gerando um elo, uma aliança que torna o casal único, isso se chama cumplicidade, e é o que faz a diferença.





Cúmplices são mais do que amigos, mais do que irmãos, são almas afins que se reconhecem mesmo de longe, onde o olhar fala mais do que mil palavras, detalhes que fazem de um relacionamento, o verdadeiro amor, o que dura além do tempo, e transformam duas pessoas em "almas gêmeas"(Paulo Roberto Gaefke - out/2006- imagem do google)


É, amigos, meus assuntos estavam meio para baixo neste mês, nem estava animada para o natal, e olha que é a época do ano que mais gosto...nem arvore eu tinha feito este ano...Mas ontem recuperei o otimismo depois de andar quase um mês inteiro deprimida...e olha que isto é bem difícil quando é comigo, pois, qualquer tristeza não fica mais de dois dias, mas desta vez eu estava acreditando que ia dar certo, que eu ia conseguir fechar o ano com chave de ouro...ainda não foi desta vez...mas quando vier será na hora certa...vou continuar acreditando que esta quase chegando. 
E para comemorar minha melhora venho com este texto, do meu amigo Paulo - que encontrei em 2001 no meu caminho. Relendo suas mensagens escolhi esta para postar pois este blog esta parecendo site de problemas de relacionamento, mas nao é, é apenas coisas interessantes que vejo pelo caminho e que acho legal dividir com aqueles que me leêm. 

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Oração da presença



Que jamais, em tempo algum, 
o teu coração acalente o ódio.
Que o canto da maturidade 
jamais asfixie a tua criança interior.
Que o teu sorriso seja sempre verdadeiro.
Que as perdas do teu caminho 
sejam sempre encaradas como lições de vida.
Que a música seja tua companheira 
de momentos secretos contigo mesmo.
Que os teus momentos de amor contenham a magia 
de tua alma eterna em cada beijo.
Que os teus olhos sejam dois sóis olhando 
a luz da vida em cada amanhecer.
Que cada dia seja um novo recomeço, 
onde tua alma dance na luz.
Que em cada passo teu fiquem marcas luminosas 
de tua passagem em cada coração.
Que em cada amigo o teu coração faça festa 
e celebre o encanto da amizade 
profunda que liga as almas boas.
Que em teus momentos de solidão e cansaço 
esteja sempre presente em teu coração 
a lembrança de que tudo passa e se transforma, 
quando a alma é grande e generosa.
Que o teu coração voe contente nas asas 
da espiritualidade consciente, 
para que você perceba a ternura invisível 
tocando o centro do teu ser eterno.
Que um suave acalanto te acompanhe, 
na Terra ou no Espaço e por onde quer 
que o seu espírito lindo leve o teu viver.
Que o teu coração sinta a presença 
secreta de tudo aquilo que é 
impossível exprimir por palavras.
Que os teus pensamentos, os teus amores, 
o teu viver e a tua passagem pela vida 
sejam sempre abençoados por aquele amor 
que ama sem nome, 
aquele amor que não se explica, 
só se sente.
Que esse amor seja o teu acalanto secreto, 
viajando eternamente no centro do teu ser.
Que esse amor transforme os teus 
dramas em luz, as tuas tristezas em 
celebração e os teus passos cansados 
em alegres passos de dança renovadora.
Que jamais, em tempo algum, 
você esqueça da presença que está 
em você e em todos os Seres.
(Wagner Borges)

domingo, 13 de dezembro de 2009

A vida não oferece retornos




Têm coisas na vida que não conseguem pegar o retorno. Definitivamente não têm volta. Uma palavra proferida num instante de raiva, por exemplo, pode ser esquecida por quem a falou, mas vai ecoar nos ouvidos de quem a ouviu pelo resto dos seus dias.
Uma traição, decerto passará em branco para quem a cometeu, mas jamais será esquecida por quem a sofreu.
Um olhar de raiva poderá até se transformar em um de carinho depois de algum tempo, mas quem o viu, o sentiu, terá registrado na sua retina pelo resto da vida.
Humilhações pelas quais eventualmente passamos serão ignoradas por quem as causou. No entanto o tempo não será capaz de apagá-las do nosso coração.
Mentiras ditas cinicamente, como se fossem verdades, quando descobertas ficam parecendo flechas fincadas no coração de quem as ouviu.
Grosserias calejam almas, quando tantas vezes nem são percebidas por quem as fez.
Um amor que é vivido e que, ao final, passa despercebida por um dos lados como se não tivesse valido a pena ou tido alguma importância, machuca mais do que chutar uma criança. Consideração não levada a sério, tratada como piada, pode ser, para quem não a tem, um item sem importância, mas quem é atingido por ela sabe o quanto dói e imobiliza.
Subjugar pessoas a ignorâncias e desfeitas não é com certeza a melhor receita para ser apreciado. 
Elas poderão fingir que passaram por cima desse seu ato, mas de forma alguma o esquecerão.
Palavras, antes de serem ditas, devem ser pensadas e atitudes, analisadas.
Não se agride um coração a troco de nada porque, quem o fere segue em frente, quem é ferido vai precisar, no mínimo, carregar as suas cicatrizes.
Saiba que as atitudes desprezíveis que você tiver ao longo dos seus dias com seu próximo a vida vai lhe cobrar por isso,seja ele alguém íntimo ou distante.
Como eu disse no início, a vida não oferece retornos.
(Silvana Duboc)

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Como desenvolver a capacidade para o amor



Muita gente está assustada com a possibilidade de se envolver e perder a liberdade conquistada. De um lado, as mulheres buscam homens mais compreensivos, de outro, os homens querem mulheres menos possessivas. O mesmo acontece no trabalho, um profissional que não está atualizado, disposto a desafios e apto para mudanças é, rapidamente, substituído por outro. 

O fato é que, se queremos viver um relacionamento gostoso, porém verdadeiro, seja no casamento, namoro, ou em poucas horas, devemos aprender a nos aceitar como somos e olhar para o companheiro como um caminho para o crescimento. Estar com alguém plenamente é a possibilidade de vencer o medo da entrega e de se conhecer no íntimo. 

Conviver com alguém que amamos é o mesmo que comprar um imenso espelho da alma, no qual, cada um de nossos movimentos é mostrado, sem a mínima piedade. E, é aí que começa o inferno... Ao invés de encarar a verdade e de ver a imagem temida do verdadeiro "eu", tenta-se quebrar o "espelho". Como? Fugindo da intimidade, culpando o outro, não assumindo as próprias responsabilidades e desacreditando o amor. 

Viver com quem se ama não é apenas uma oportunidade de conhecer o outro, mas é a maior chance de entrar em contato consigo mesmo. Apenas quando nos vemos é que percebemos o medo de nós mesmos e nos aceitamos como realmente somos. Começamos, então, a nos capacitar para o amor. 

O único jeito de amar é buscando a sinceridade. Infelizmente, com o passar dos anos o amor tem sido muito mais estratégico do que espontâneo. Nas revistas femininas via-se muito esse tipo de atitude: "se ele fizer isso, faça aquilo", o que foi minando a espontaneidade do amor. Nós temos que redescobrir a forma de amar, a naturalidade do relacionamento amoroso. As pessoas precisam ter interesse genuíno no outro. 

Todas as maneiras de amar devem ser naturais. Quem fica estudando demais o outro, "mata" a possibilidade de amar alguém.

O mundo é feito de absurdos e encontros, os absurdos fazem parte, porém, devemos entender que é possível ser feliz, acreditando dia-a-dia na naturalidade dos sentimentos.


Um dia, perguntaram a um grande mestre quem o havia ajudado a atingir a iluminação e ele respondeu: "Um cachorro". Os discípulos, surpresos, quiseramsaber o que havia acontecido, e o mestre contou: "Certa vez, eu estava olhando um cachorro, que parecia sedento e se dirigia a uma poça dágua. Quando ele foi beber, viu sua imagem refletida. O cachorro, então, fez cara de assustado, e a imagem o imitou. Ele fez cara de bravo e a imagem o arremedou. Então, ele fugiu de medo e ficou observando, durante longo tempo, a água. Quando a sede aumentou, ele voltou, repetiu todo o ritual e fugiu novamente. Em um dado momento, a sede era tanta que o cachorro não resistiu e correu em direção à água, atirou-se nela e saciou sua sede. 

Desde então, percebi que, sempre que eu me aproximava de alguém, via minha imagem refletida, fazia cara de bravo e fugia assustado. E ficava, de longe, sonhando com esse relacionamento que eu queria para mim. Esse cachorro me ensinou que eu precisava entrar em contato com minha sede e mergulhar no amor, sem me assustar com imagens que eu ficava projetando nos outros". Esse é o ingrediente básico para o amor, o autoconhecimento. Projetar nossos desejos ou nossas "fobias" no outro, apenas causa uma relação de dependência ou doentia, como o desenvolvimento do ciúme ou competição.

*Roberto Shinyashiki é psiquiatra, escritor e conferencista

sábado, 7 de novembro de 2009

Ame com o compromisso de crescer








Poder aceitar-se é um pré-requisito básico para amar alguém. Ou seja, a relação amorosa começa inicialmente de forma individual e depois vai se completando a dois. É muito importante que a pessoa se valorize e goste de si mesma. De nada adiante sentir um grande amor por alguém, se nos acharmos não merecedores desse sentimento. Uma auto-estima forte, implica em mostrar ao outro que temos valores e desejos e que gostaríamos de sermos respeitados e valorizados por aquilo que sentimos, pensamos e, principalmente, por aquilo que somos. Isto serve para ambos.


Se não me valorizo abro portas para ser rejeitado, menosprezado. Pessoas que constantemente abrem mão de seus projetos em função de alguém, delegam todo seu brilho para o outro. Amores precisam de espaço para respirar. Se fornecemos espaço, damos a possibilidade de criação. Quanto mais eu restrinjo quem amo, mais escravo ele se torna, mais autoritário me transformo e mais inseguro fico.


Nas relações afetivas ambos precisam ter luz própria. Quanto mais brilhamos, mais podemos iluminar os que escolheram trilhar o caminho ao nosso lado. Ganhamos quando observamos que o nosso crescimento estimula o crescimento do outro. Isto provoca um sentimento interno de gratificação, de como é bom estimular quem amamos. Muitas vezes precisamos abrir mão do nosso individualismo e desejos para que a relação cresça.


É preciso que fique bem claro que para existir amor saudável é necessário que haja envolvimento. De nada adianta existir inteira liberdade se não houver o comprometimento necessário para crescer, como pessoa e no relacionamento. Amar é se relacionar profundamente com o companheiro, fazer trocas, estar inteiro na relação. É preciso cuidado para não cairmos no lado oposto, o lado do amor livre com trocas superficiais. Como diz o psiquiatra José Angelo Gaiarsa: “Quem não se envolve não se desenvolve”. Ele foi extremamente feliz com essa colocação, pois é preciso envolvimento sim, para crescer e amar. Adolescentes fazem isso, pois ainda não são maduros o suficiente para assumirem compromissos responsáveis. Pessoas maduras precisam se envolver e deixar envolver-se pelo outro. Muitas vezes relações ditas “livres”, são apenas fachada para que não haja um envolvimento maior.


Precisamos ser verdadeiros e autênticos com nós mesmos. De nada adianta levantarmos uma bandeira de liberdade se não nos comprometemos, ou se não permitirmos que nosso companheiro, também compartilhe desses mesmos valores. Coerência antes de tudo, o que desejamos para nós, também devemos desejar para pessoa que amamos. O relacionamento amoroso cresce com a troca e se fortalece quando permitimos que o outro seja ele mesmo. 


(Achei este texto tudo de bom - foi publicado por Maury Braga é Psicólogo Clínico Graduado pela PUCRS -  a foto é de www.carolinasalcides.com.br )








sábado, 31 de outubro de 2009

A dor e o sofrimento







Definitivo, como tudo o que é simples.
Nossa dor não advém das coisas vividas, mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram.
Sofremos por quê?
Porque automaticamente esquecemos o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado do nosso amor e não conhecemos, por todos os filhos que gostaríamos de ter tido junto e não tivemos, por todos os shows e livros e silêncios que gostaríamos de ter compartilhado, e não compartilhamos.
Por todos os beijos cancelados, pela eternidade.
Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco, mas por todas as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um amigo, para nadar, para namorar.
Sofremos não porque nossa mãe é impaciente conosco, mas por todos os momentos em que poderíamos estar confidenciando a ela nossas mais profundas angústias se ela estivesse interessada em nos compreender.
Sofremos não porque nosso time perdeu, mas pela euforia sufocada.
Sofremos não porque envelhecemos, mas porque o futuro está sendo confiscado de nós, impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam, todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar.
Por que sofremos tanto por amor?

O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma pessoa tão bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez companhia por um tempo razoável,um tempo feliz.
Como aliviar a dor do que não foi vivido? A resposta é simples como um verso: Se iludindo menos e vivendo mais!!!
A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento,perdemos também a felicidade.

A dor é inevitável.
O sofrimento é opcional....


(Carlos Drummond Andrade)

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Oração pela Paz no Mundo!

Hoje é o dia mundial de oração pela paz, vamos nos unir a esta corrente de luz !!!



“Senhor! Sabemos da nossa impotência diante do ódio e da vingança que armam bombas e mãos criminosas.
Mas nós cremos na Vossa justiça soberana que impera em todo o universo, mantendo o direito e a dignidade de viver a todos os Vossos filhos, e a todos os seres da criação.
Senhor! Compreendemos a nossa fragilidade diante de tanta violência, que faz derramar o sangue de crianças e mulheres indefesas, espalhando a morte e o terror.
Mas nós cremos na extensão de Vossa infinita misericórdia, ao determinar que a vida continue fecundando úteros, povoando a Terra com o sorriso inocente das crianças.
Senhor! Assistimos, estarrecidos, à total negação da mensagem de amor vivida pelo Meigo Rabi da Galiléia, vendo a crueldade afiando baionetas assassinas, bombas arrasando os campos floridos e calando as aves dos céus.
Mas nós cremos na Vossa eterna bondade, que ordena ao sol e à chuva fertilizarem o solo arrasado e destruído; ao verde colorir os campos abençoados; às flores enfeitarem os jardins; e aos pássaros de novo cantarem pelo infinito dos céus.
Essa oração é o grito de nossa alma, na certeza de que nos ouvis neste momento, porque sabemos que criastes o homem para ser feliz, para amar, para abraçar seus irmãos, para viver em paz!
Porque cremos, Senhor, que é Vossa a determinação de a paz reinar soberana um dia neste mundo, queiram os homens ou não, e porque cremos que é da Vossa vontade os canhões se calarem para sempre, é que rogamos à Vossa generosidade que inspire os homens a serem verdadeiros irmãos sob o estandarte do perdão e da legítima fraternidade!
Assim seja, porque a Vós pertencem a vida e o poder para sempre!"
(Prece recebida por Gerson Simões Monteiro pela inspiração no dia 11/09/2001, diante da destruição
das Torres Gêmeas nos EUA)

sábado, 24 de outubro de 2009

A GRANDEZA DA DOR




Para os terremotos, a escala de Richter, 
para os furacões, a escala de Saffir-Simpson, 
para a força dos ventos, a escala Beaufort, 
todas medem a grandeza do poder de estrago de cada força, 
e para as nossas dores existem escalas?


Claro que não, a sua dor não tem tamanho!
Não sai nas revistas, porque não dá para imprimir, 
nem no seu blog dá para exprimir, 
nem pintando com as mais variadas tintas, 
quem é que pode sentir o que você sente?


Por isso, não se demore na dor! 
Que te remetem ao momento onde ela nasceu, 
revivendo a cada instante a mesma sensação, 
não estacione nos pensamentos que te afligem. 
A perda, a angústia, o desespero, devem ser esquecidos, 
sob pena de reviver, a mesma dor diversas vezes, 
e se já foi difícil passar por ela uma vez, 
imagine conviver com ela em flashback diariamente?


Derrame as lágrimas necessárias, desabafe mesmo, 
a dor represada forma um rio com águas paradas, 
e água parada apodrece, fede e cria bichos, 
mas depois do desabafo, do choro, do viver o luto,  
enterre o passado, deixe às águas correrem livres, 
porque o rio sempre busca o mar, 
e nós sempre deveremos buscar a felicidade, 
num eterno ir e vir, começar e recomeçar, 
não deixando a dor nos parar, 
porque somos feitos na exata medida do amor que desejamos viver.

(by Paulo Roberto Gaefke)

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Quanto vale um bem-querer


Um bem-querer tem alto valor...
Um valor que não tem preço.

Bem-querer é transformar dias sombrios
em tempos claros, risonhos...
É adquirir uma passagem de ida, de volta
e retorno ao país dos sonhos...

Tristeza?... Ora, a tristeza...
ela faz parte também.
Se não houvesse a tristeza,
Não conheceríamos da felicidade, a beleza...

Se não experimentássemos o frio,
não saberíamos apreciar o calor do dia-a-dia.
Bem-querer é querer bem  não apenas na alegria.

Nos momentos de arrufos, ficar de bem -
trazendo uma flor com charme, jeito e sedução.
Ficar de mal, ficar de bem,
explodir de emoção,
arrancar devagarinho as pétalas do bem-me-quer
e finalizar com o bem-querer na mão,
na alma e no coração.

Bem-querer é querer e querer bem!
 É deixar o coração saltitar em cambalhotas,
compensando as agruras,
preenchendo as fissuras
que a gente no peito tem...
Oriza Martins


Hoje, dia do poeta!!! Aos que pensam com o coração, que brilham pelos caminhos das letras, brincando de cambalhotas com as  palavras muitas vezes traduzem o segredo da alma.

domingo, 18 de outubro de 2009

Isso tambem passa!!!




Certo dia um homem percebeu a seguinte frase em um pergaminho pendurado aos pés da cama de Chico Xavier:  "Isso também passa"

Com a curiosidade de cada ser humano resolveu perguntar:  Chico o que significa essa frase? E o Mestre sem titubiar lhe responde:  A vida nos prega muitas peças, que podem ser boas ou não.   Mas tudo significa aprendizado.  Recebi essa mensagem de um Anjo protetor num desses momentos de dor onde quase perdi a Fé. 

Essa frase é para que todos os dias antes de me levantar e de me deitar possa ler e refletir, para que quando tiver um problema, antes de me lamentar eu possa me lembrar que:  "Isso também passa"  e para que quando estiver exaltado de alegria, que tenha moderação e possa encontrar o equilíbrio, pois:  "Isso também passa".  Tudo na vida é passageiro assim como a própria vida, tanto as tristezas como também as alegrias.

Praticar a paciência, perseverar no bem e nas boas ações ter simplicidade, fé e pensamentos positivos mesmo diante das mais difíceis situações é saber viver e fazer da nossa vida um constante aprendizado.

É ter a consciência de que todas as pessoas erram,de que o ser humano ainda é um ser imperfeito em busca da perfeição, e por isso até saber que se muitas vezes nos decepcionamos com pessoas, é porque esperamos mais do que estão preparadas para dar, dentro do seu contexto e grau de compreensão.

Deste modo, meu amigo, toda vez que olho para essa frase,meu coração se aquieta e a paz me invade, pois sei que:  "Isso também passa"

(Chico Xavier - Fotos pedaçosdomeucaminho

sábado, 17 de outubro de 2009

A PEDRA





O distraído nela tropeçou...
O bruto a usou como projétil.
O empreendedor, usando-a, construiu.
O camponês, cansado da lida, dela fez assento.
Para meninos, foi brinquedo.
Drummond a poetizou.
Já, David matou Golias...
e Michelangelo extraiu-lhe a mais bela escultura...
E em todos esses casos, a diferença não esteve na pedra, mas no homem!
Não existe "pedra" no seu caminho que você não possa aproveitá-la para o seu
próprio crescimento.
(Autor desconhecido)



segunda-feira, 12 de outubro de 2009

É nossa Padroeira, viva!!!


Desde o descobrimento do Brasil cultiva-se aqui a devoção de Nossa Senhora. Os portugueses descobridores do país tinham-na aprendido e usado desde a infância; os primeiros missionários recomendavam e propagavam-na. Aonde se fundavam cidades, construíram-se igrejas em honra de Nossa Senhora Aparecida e celebravam-se com grandes solenidades as suas festas. Foi certamente em recompensa desta constante devoção que a Virgem Santíssima quis estabelecer no Brasil um centro de sua devoção, um trono de graças, um santuário em nada inferior aos grandes santuários de outros países. Data o ano de 1717 a origem da romaria de Nossa Senhora Aparecida. Três pescadores, de nome Domingos Garcia, João Alves e Felipe Pedroso, moradores nas margens do rio Paraíba, no município de Guaratinguetá/SP, estavam um dia pescando em suas canoas, sem conseguir durante longas horas pegar peixe algum. Lançando João Alves mais uma vez a sua rede na altura do Porto de Itaguaçu, retirou das águas o corpo de uma imagem, mas sem cabeça e, lançando mais abaixo de novo a rede, colheu também a cabeça. Envolveu-a em um pano e continuou a pesca. Desde aquele momento foi tão abundante a pescaria, que em poucos lances encheram as canoas e tiveram de suspender o trabalho para não naufragarem. Eram certamente extraordinários esses fatos: O encontro da imagem, da qual nunca se soube que a tivesse atirado à água, o encontro da cabeça a qual naturalmente devia ser arrastada mais longe pela correnteza da água, e além disto dificilmente podia ser colhida em rede de pescador, enfim, a pesca abundante que seguiu o encontro da imagem. Os pescadores limparam, pois, com grande cuidado e respeito a misteriosa figura e com grande satisfação verificaram que era uma imagem de Nossa Senhora da Conceição. Colocaram-na no oratório de sua pobre morada e diante dela começaram a fazer suas devoções diárias.Seria impossível enunciar e descrever os favores que Nossa Senhora Aparecida já tem concedido aos seus devotos em suas necessidades, muitas vezes mesmo milagrosos que a todos deixam admirados. Seria igualmente impossível contar os benefícios espirituais que ela tem concedido pela conversão de pecadores há muito afastados de Deus, pela tranqüilidade restituída a muitas consciências e por inúmeras outras graças espirituais. A devoção a Nossa Senhora da Conceição Aparecida, aprovada pela Santa Igreja e confirmada por tantos milagres, é de sumo proveito para todos, e deve ser praticada por todos os habitantes desta terra em que é gloriosa Rainha. (Fonte:Site Oficial  Basilica Nossa Senhora  Aparecida http://www.santurarionacional.com.br)

Você quer ser feliz ou ter razão?


Você já reparou como facilmente somos gentis, inteligentes, simpáticos com pessoas estranhas e justamente na nossa casa? Com os nossos familiares costumamos muitas vezes nos mostrar muito mais fechados, irritados e carrancudos.


Já reparou como as pessoas do convívio diário tiram você do sério?


Claro que cada pessoa tem seu limite, tem suas razões e seus momentos de harmonia e desarmonia, mas a família é um teste. Você já se perguntou por quê?


Nos ensinamentos espirituais, aprendemos que normalmente a família é o berço do aprendizado e dos resgates kármicos porque nela se encontram nossos mais queridos amores e também nossos mais complicados desafetos, justamente porque é ali que nossas arestas são lapidadas. É na família que temos a liberdade de ser nós mesmos, sem máscaras, sem regras sociais, mas será que exatamente por conta dessa liberdade temos o direito de sermos desrespeitosos e mal educados? Será que porque temos que conviver com essas pessoas temos o direito de mostrarmos nossa contrariedade e mal humor?


Uma criança, supostamente, não escolhe de quem será filha, mas crescendo é naturalmente convidada a aprender e melhorar seu comportamento. Uma vez, ouvi um amigo dizer que quando crescemos podemos ou não abrir mão de uma herança maligna. O que significa que, tendo consciência, não devemos mais nos esconder atrás de comportamentos negativos de nossos pais e familiares. Podemos dizer não a algo que vem conosco de berço. Podemos mudar. E muitas vezes é esse o grande convite da nossa encarnação.


Felizmente, muitas histórias não precisam terminar em separação e ranger de dentes. Podemos construir amor em nossas vidas, podemos encontrar outras pessoas e criar um novo núcleo familiar, podemos viver da forma que desejarmos viver, porém, seja qual for o tipo de sua família, pode ter certeza que os desafios da convivência continuarão a bater em sua porta. Pode ser que você deseje morar sozinho para se proteger da intimidade complicada, mas se assim for, outros núcleos passarão a incomodar você. Quem não tem que conviver com pessoas diferentes no trabalho? Nos estudos? Ou até mesmo na academia?


A vida vai juntando as pessoas justamente porque precisamos da experiência de lidar com o outro e com os desafios que ele nos trás.


Os filhos também não vêm prontos. Quem já teve filhos, sabe muito bem que cada pessoa é um universo; crianças criadas numa mesma casa, com os mesmos pais podem ser completamente diferentes. E essas diferenças costumam se mostrar já quando são bebês. E isso é natural porque somos almas que vêm para este plano de existência com suas histórias e seus desafios. Porém, ninguém vem totalmente pronto. Todos nascemos para nos aprimorar.


Se você não está muito bem em sua casa pense no que pode ser feito para melhorar a convivência, já que nem sempre é possível sair e fechar a porta atrás de si. Será que ficar mais em silêncio não ajudaria? Será que sublimar certas provocações também não seria saudável?


Com certeza, em alguns momentos você pode ter razão e até sentir necessidade de afirmar seu ponto de vista, mas muitas vezes vale muito mais deixar as situações passarem e se dissolverem por si mesmas. Como diz Sai Baba: "Você quer ser feliz ou ter razão?"
(Maria Silvia Orlovas - foto internet)

sábado, 10 de outubro de 2009

Companhia real ou agregado emocional?


Quando ficamos sozinhos, isso dói. Daí, compreendemos que ainda não temos maturidade para ficarmos em nossa própria companhia. Se não gostamos de ficar com a gente mesmo, como podemos achar que gostamos de ficar com outro - e com a gente junto? E se ficar com o outro for um vício, um receio, um medo de estarmos junto da gente mesmo? 


Do que temos medo? O que não queremos descobrir? Quem foi que ensinou a gente a ser assim?
Ninguém nasce acompanhado, todos morrem sozinhos; é claro que precisamos de gente ao lado, pois necessitamos nos relacionar; porém, quando esses relacionamentos começam a nos prejudicar, qual é a lógica de continuar algo que só existe para ocupar lugar?
Queremos ocupar sempre todos os vazios, mesmo que seja com algo que não valha à pena. Daí, pergunto: não deveríamos aprender a viver sozinhos?
E se aprendêssemos a viver sozinhos, de tal forma que, a cada dia, fosse uma nova descoberta? E cada experiência uma vitória? Não seria inevitável que o nosso brilho atraísse alguém que valesse um poema?
Só merece estar do nosso lado quem vale um verso; se não for assim, só teremos um agregado, um anexo, uma ilusão de que estamos realmente acompanhados; quando, na verdade, sempre estivemos sozinhos, mesmo quando tínhamos alguém do lado.
(Texto: Francisco de Oliveira - out/09/ imagem:internet)

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Problemas...quem não os tem?




Não tem como correr, a adversidade chega para todos, inclusive eu e você. Independente do nosso presente ou passado. Ela vai bater a nossa porta. Para alguns com menos intensidade e para outros como uma tempestade.
Existem alguns passos que podemos observar durante a adversidade e nos ensina a passar por esta fase com a cabeça erguida. Vejamos alguns conselhos valorosos.
O primeiro passo é enfrentar de cara a adversidade, não podemos deixar que a decepção nos afogue, nos deixe sem rumo durante muito tempo, é aquele velho ditado a vida precisa continuar. Não tem como parar o tempo, descermos da vida. Não funciona deixar a depressão tomar conta. Enfrentrar ainda é o melhor caminho. Por um tempo até podemos ficar impotentes, com raiva, mas viver deste alimento não podemos jamais.
Todos ao seu redor tem uma opinião a respeito de você e sua problemática. Mas você decidirá qual caminho tomar. Junte forças, de onde? Não sei, você terá que descobrir de onde vem suas forças. Uma mãe quando perde o marido encontra forças nos filhos pequenos que ficaram, a árvore quando quebrada encontra na raiz a força para se reerguer e florescer novamente. "A minha alma anela, e até desfalece, pelos átrios do Senhor; o meu coração e o meu corpo cantam de alegria ao Deus vivo. Até o pardal achou um lar, e a andorinha um ninho para si, para abrigar os seus filhotes, um lugar perto do teu altar, ó Senhor dos Exércitos, meu Rei e meu Deus." (Salmos 84: 2-3)
Os antigos dizem que devemos aprender a sofrer e tirar proveito do sofrimento e Tiago também diz assim: "Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações".(Tiago 1:2) Ele não está nos aconselhando a ficarmos rindo nos problemas, nem que somos bobos de achar a melhor coisa passa por adversidades, ele quer nos dizer que em Cristo Jesus o passar por adversidade significa crescer, amadurecer. E sabermos que a soberania de Deus é a melhor coisa, se hoje não conseguimos saber o porquê, Deus nos ensinará na caminhada.
Não é somente o passar por provações é aprendermos a ser perseverante mesmo que tudo pareça impossível. Um atleta é o melhor exemplo, se ele perde a primeira e para, jamais saberá o sabor da vitória, mas se ele volta aos treinos, luta por tempos melhores a sua chance será muito maior de vencer. Aprenderá que a melhor coisa é lutar contra tudo e todos e perseverar para o que corpo esteja bem preparado, que a cabeça consiga organizar todas as informações.
Toda prova tem uma finalidade, algumas provam nossa fé, outras o nosso amor a Deus outras para nos fazer crescer, outras provam nosso caráter. Mas todas têm uma finalidade dada por Deus de nos encontrar lá na frente diferentes de hoje. Desistir jamais, seguir sempre. "E a perseverança deve ter ação completa, a fim de que vocês sejam maduros e íntegros, sem lhes faltar coisa alguma." (Tiago 1:4)
Se você está ai pensando que é só com você que as coisas acontecem, bobagem, é com todos nós, só que alguns desistem no meio do caminho e passam o resto do tempo reclamando da sorte. Outros usam as adversidades para aprender e continuar a luta. Você escolhe qual caminho deseja seguir, se parar, quem agüentará suas reclamações de azar? Só você mesmo, se deseja continuar, você terá caminho e mais adversidades e no final a vida te ensinará muito e viverá mais intensamente cada momento de calmaria.
O último passo da adversidade é a sabedoria. Ela nos ensina a enxergar mais longe, mais claramente e imparcialmente todas as coisas. Falta-te sabedoria? Na sabe onde adquiri-la? Busque-a no lugar mais seguro, onde dinheiro não consegue comprar, mas há um que a deixou para que você a busque. "Se algum de vocês tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá livremente, de boa vontade; e lhe será concedida. Peça-a, porém, com fé, sem duvidar, pois aquele que duvida é semelhante à onda do mar, levada e agitada pelo vento." (Tiago 1:5-6)
Não importa o tamanho dos seus problemas (adversidade) o que importa é o tamanho do seu Deus para estar ao teu lado, nunca diga ao seu Deus o tamanho de cada problema, mas arrisque a dizer aos problemas o tamanho do seu Deus.
(Silvia Leticia Carrijo - Foto:internet)

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Bem viver...




Enquanto os interesses materiais ocuparem o primeiro posto nas mentes humanas, sempre haverá discussões, disputas, desacordos e guerras.

Cuida das tuas palavras se não queres que elas venham a ferir a ti mesmo.

A compreensão não é o conhecimento, mas, sim, um meio para chegar a ele.

O esforço é a manifestação da vontade e é ao mesmo tempo um recurso da mente; é pois o esforço uma força em ação.

Ainda que tenhamos a razão sobre um assunto, a razão dos outros a respeito do mesmo assunto deverá interessar-nos tanto como a nossa.

Que sempre seja Deus quem presida tuas horas de alegria, oferecendo-Lhe, do mais íntimo do coração, tua gratidão por tudo o que Lhe deves e possuis: em felicidade, em conhecimento, em conforto, em triunfos.

As diferenças de opiniões nunca devem suscitar inimizades nem ressentimentos.

Muitas vezes são os fatos que falam, e por eles se interpretam as pessoas melhor que por suas próprias palavras.

A sabedoria oferece ao homem a solução de seus problemas, porém o homem faz de cada solução uma quantidade de problemas.

É de vital importância para a vida do homem que os pensamentos sirvam a seus propósitos, em vez de estar ele a serviço deles.(Raumsol)